Quem sou

Rikáryo Mourão é um cidadão iguatuense que tem feito muito pela cidade. Filho de um pequeno empresário do ramos de auto peças, Carlos Renê e da funcionária pública, Edneide Mourão, neto do avós paternos, Manoel Vieira Pinheiro e da Dona Heroína Aires Peixoto, avós maternos, Pedro Mourão e da Dona Zila Siqueira Mourão, desde o início de sua adolescência o na época, Karlos Rikáryo, já atuava na comunidade escolar, foi líder de sala por várias vezes, membro de Grêmio Estudantil da Escola Filgueiras Lima, também participou do conselho escolar até a conclusão do ensino médio e foi um dos fundadores do jornal na escolar do projeto Clube do Jornal da Organização Não Governamental, Comunicação e Cultura.

Ingressou na União Municipal does Estudantes Secundaristas de Iguatu (UMESI), entidade que atuou fortemente na validade da carteira de estudantes, depois de muitos conflitos e enfrentar uma verdadeira guerra jurídica a meia entrada cultural no Iguatu se consolidou até hoje! Nesse mesmo período Rikáryo também ingressou na União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e foi um dos que fundaram no Iguatu a União da Juventude Socialista (UJS).

Após a conclusão do ensino médio Mourão virou colaborador em vários jornais e revistas como: Em Foco, Jornal A Praça e na Rádio Educativa Mais FM. No jornal o jovem repórter fotográfico atuou por mais de uma década, e nesse mesmo período (2003) passou a fazer uma atuação política mais ampla por está envolvido com a União Nacional dos Estudantes (UNE), chegou até Brasília para ser um dos membros fundadores dos marcos legais da juventude brasileira.

As políticas públicas de juventude no inicio da década de 2000 era um tema novo e sem qualquer construção de governos anteriores e em marços de 2003 foi dado o pontapé inicial com sua participação no projeto juventude, das articulações Construindo Teias e das redes Juventude, Sou de Atitude, Jovens do Nordeste, Juventudes do meio ambiente.

Esse período rendeu numa construção intensa de direitos para a juventude do Brasil:
1 - Projeto Juventude (2003);
2 - Consulta nacional de Juventude (2004);
3 - Fundação da Secretária Nacional de Juventude, SNJ (2005);
4 - Fundação do Conselho Nacional de Juventude, Conjuve (2005);
5 - Mobilização/Aprovação da Proposta de Emenda Constitucional, PEC da Juventude (2010);
6 - Pacto pela Juventude (2010);
6 - Aprovação do Estatuto da Juventude (2013);
7 - Sistema Nacional de Juventude (2015).

Durante essa construção da política de impacto nacional, Rikáryo atuava localmente no Instituto Elo Amigo e na Fundação de Apoio ao Jovem de Iguatu.

Entre suas principais alegrias e orgulho está seu patrimônio mais precioso, sua família, em 2010 foi pai com a chegada da Lis Íris e em 2018 do Joaquim e da sua esposa Dona Nathália Mourão.